Você está aqui: Página Principal

Corregedor-Geral e ouvidor do MPES são empossados para o biênio 2016/2018

Os procuradores de Justiça José Claudio Rodrigues Pimenta e Sérgio Dário Machado tomaram posse na segunda-feira (28/03), respectivamente, nos cargos de corregedor-geral e ouvidor do Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), para atuação no biênio 2016/2018. A solenidade foi realizada às 17 horas, no auditório da Procuradoria-Geral de Justiça.
 
Presidida pelo procurador-geral de Justiça Eder Pontes da Silva, a sessão contou com a presença do presidente do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES), desembargador Aníbal de Rezende Lima; do deputado Sandro Locutor, representando o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Espírito Santo (Ales), Theodorico Ferraço; do presidente da Associação Espírito-Santense do Ministério Público (AESMP), Adelcion Caliman; do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo (TCE-ES), Domingos Augusto Taufner; do ouvidor do Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP) Roberto Fleury; além de autoridades militares, servidores e representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).
 
O procurador de Justiça e corregedor-geral do MPES que se despediu do cargo, José Maria Rodrigues de Oliveira Filho, falou da gestão e saudou o novo chefe do órgão. “Atuamos de forma sistemática, traçamos nosso caminho, cumprimos nosso dever. Penso que caminhamos muito.  Hoje estamos melhor organizados e mais preparados para desenvolver novas tarefas com êxito. Certo estou de que o novo corregedor-geral aprimorará ainda mais os trabalhos realizados, pois já conhece bem o órgão, além de dispor de uma enorme força de trabalho. Deixo meus votos de sucesso ao colega José Cláudio Rodrigues Pimenta”.
 
Saudações
 
O corregedor-geral empossado, José Cláudio Rodrigues Pimenta, discursou emocionado. “Meus agradecimentos ao doutor José Maria pelas gentis palavras. E por ter me indicado ao cargo de corregedor-geral. Vossa excelência lidera com singular maestria e sabedoria e espero contar com a sua experiência. Dr. Sérgio Dário, agradeço pela aclamação do meu nome para o cargo. Contarei com a sábia colaboração de vossas excelências”, assinalou o procurador de Justiça.
 
Ele comentou ainda o momento político do país. “A crise ética moral e política que se abate sobre o país nos leva a uma reflexão de nossas ações. Sobretudo no que se refere à promoção da democracia. O MP está constantemente em evidência e, portanto, suscetível às críticas e cobranças. Por isso é preciso vigiar constantemente a nossa identidade e ética institucional. Devemos nos compromissar com as nossas ações e atuar com sabedoria e responsabilidade, para a promoção de uma sociedade mais justa e igualitária”, analisou.
 
O procurador de Justiça e ouvidor empossado, Sérgio Dário Machado, saudou o novo corregedor-geral e falou dos próximos anos de gestão. “Doutor Pimenta, Vossa Excelência tem pela frente uma das mais espinhosas missões que cabe ao MP, que é a Corregedoria. Transmito-lhe os meus mais efusivos cumprimentos e votos para que faça uma excelente gestão. Sendo a segunda vez que fui eleito para o cargo, penso que isso me impõe realizações que superem metas já alcançadas. Além dos olhos de cobrança dos meus pares que me elegeram, tenho aqui testemunhas que me são muito caras e preciso cumprir o juramento que fiz. Tudo farei para cumprir essas expectativas”, afirmou.
 
Encerramento
 
O procurador-geral de Justiça, Eder Pontes da Silva, ao encerrar a solenidade, comentou os discursos do corregedor-geral e do ouvidor do MPES, que citaram a crise política do país. O procurador-geral de Justiça apontou para um desfecho na crise instalada tendo sempre o Ministério Público e o Poder Judiciário como estruturas basilares para tanto. “São instituições que assegurarão um futuro melhor para o país. O momento é de muita reflexão e preocupação. Mas temos certeza de que superaremos todas essas dificuldades”, avaliou.
 
Eder Pontes também desejou sucesso aos colegas que assumiram os cargos: “Doutor Pimenta, tenho certeza de que será muito bem sucedido, numa missão que vai ser seguramente das mais difíceis. Ser corregedor-geral é uma das missões mais espinhosas. A corregedoria, dada sua importância e por ser o pulmão da instituição, está muito bem entregue a vossa excelência”, afirmou.
 
O procurador-geral de Justiça também citou o discurso do corregedor-geral que deixou o cargo. “Gostaria de agradecer as palavras do nosso querido procurador de Justiça que deixa agora o cargo de corregedor-geral do MPES, reconhecendo o esforço da Administração (Superior) no que tange a melhor estruturação do órgão”, disse. Eder Pontes também destacou a importância da Ouvidoria do MPES e o trabalho desenvolvido para também aparelhá-la. “Temos consciência do quanto é importante voltarmos nossos esforços para melhor estruturar a Ouvidora do MPES, como bem disse o ouvidor Sérgio Dário Machado em seu discurso. A Ouvidoria é a porta de entrada do cidadão. Através da Ouvidoria a população tem maior facilidade de recorrer ao MPES”, assinalou.