Você está aqui: Página Principal

Após ação do MP Eleitoral, pesquisa é retirada do ar em Cachoeiro

Com base em ação apresentada pelo Ministério Público Eleitoral (MPE), a Justiça determinou, com urgência, a retirada do ar de uma pesquisa eleitoral publicada no site de um jornal de Cachoeiro de Itapemirim.  De acordo com a ação ajuizada pelo MPE, a consulta indica como estatístico responsável um profissional que nunca trabalhou para empresa que fez a medição de votos nem avaliou ou aprovou qualquer método de pesquisa ou plano estatístico. O profissional confirmou, em depoimento à Ouvidoria do Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), que teve o nome e o registro profissional utilizados indevidamente na pesquisa encomendada pelo jornal online.

Dessa forma, o MP Eleitoral requereu que a pesquisa seja retirada do ar e que o próprio site do jornal informe, até o final das eleições, que a medição veiculada não atendeu à legislação eleitoral, não é digna de confiabilidade e será invalidada pela Justiça Eleitoral, sob pena de R$ 1 mil por dia em caso de descumprimento. Também foi solicitado que outras duas pesquisas registradas pela editora e pelo jornal online não sejam publicadas e que, ao final do processo, essas empresas sejam condenadas ao pagamento de multa R$ 53.205,00 a 106.104,00 por pesquisa divulgada. 

Veja a ação

Foto:Shutterstock.com