Você está aqui: Página Principal

MPES discute ações para enfrentar crise hídrica em São Gabriel da Palha

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio da Promotoria de Justiça de São Gabriel da Palha, requisitou, no dia 15/09, providências emergenciais à Agência Estadual de Recursos Hídricos (AGERH) e a diversos órgãos ambientais para garantir o abastecimento prioritário da população dos municípios abastecidos pelo rio São José. O cenário é extremamente crítico, provocado pela escassez hídrica, com possibilidade de colapso no sistema de abastecimento? de água.
 
O fornecimento de água na cidade de São Gabriel da Palha foi interrompido na quinta-feira (22/09), porque o rio São José não possuía água disponível para a captação da Cesan. Na sexta-feira (23/09), para discutir as ações de cumprimento imediato da requisição do Ministério Público, reuniram-se na Promotoria de Justiça de São Gabriel da Palha, o secretário de Segurança Pública, André Garcia; o diretor da AGERH, Anselmo Tozi; comandantes da Polícia Militar e Ambiental; e representantes da Cesan. 
 
A partir de então, a Polícia Ambiental, em ação coordenada com a Polícia Militar e o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf),  realizou a lacração de 80 bombas de irrigação agrícola nos municípios de São Gabriel da Palha e Águia Branca, além da liberação do fluxo de pelo menos duas barragens no leito do rio.
 
A fiscalização se estende nos próximos dias por Vila Valério, São Domingos do Norte e Pancas (Vila Verde), que também são abastecidos pelo rio São José. O promotor de Justiça de São Gabriel da Palha, Fabrício Admiral, destacou que este é um trabalho de extrema necessidade. “A captação de água para irrigação agrícola está proibida neste período de crise. Por isso, precisamos assegurar que as bombas hidráulicas não funcionem para garantir o abastecimento para o consumo humano”, afirmou.??