Você está aqui: Página Principal

MPES requer audiência de conciliação com movimento paredista da PM

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), requereu na segunda-feira (06/03), a designação de uma audiência de conciliação com todos os envolvidos no movimento paredista da Polícia Militar do Estado do Espírito Santo (PMES). O pedido foi feito na Ação Civil Pública (ACP) proposta perante à Justiça estadual que trata da manifestação dos militares. Para o MPES, a medida proporcionará a todos os envolvidos uma conciliação, que será exercida pelo próprio juiz da causa, como elemento neutro e imparcial para conduzir a negociação.

Devem ser intimados o Comitê Permanente de Negociação do Estado do Espírito Santo, na pessoa do presidente Júlio Pompeu; a Procuradoria-Geral do Estado, na pessoa do procurador-geral do Estado, Rodrigo Rabello; a Associação dos Cabos e Soldados do Estado do Espírito Santo (ACS-PMBM), representada pelo presidente sargento PM Renato Martins Conceição; Associação dos Subtenentes e Sargentos da Polícia e Bombeiro Militar do Espírito Santo (Asses), representada pelo presidente capitão PM Paulo Araújo de Oliveira; Associação dos Bombeiros Militares do Espírito Santo (ABMES), representada pelo presidente sargento PM Sérgio de Assis Lopes; Associação dos Oficiais Militares do Espírito Santo (Assomes), representada pelo presidente major PM Rogério Fernandes Lima; e Associação dos Militares da Reserva, Reformados da Ativa da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros Militar e Pensionistas de Militares do Estado do Espírito Santo, representada pelo presidente capitão PM RR José Raimundo de Jesus; além dos familiares e amigos dos militares responsáveis pelas manifestações em frente aos batalhões/companhias, que deverão ser convocados por meio de edital a ser publicado nos jornais de maior circulação no Estado e Diário Oficial.