Você está aqui: Página Principal

MPES lança Mapa da Política de Assistência Social

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (Ceaf) e do Centro de Apoio de Defesa Comunitária (Caco), realizou nesta segunda-feira (24/07) o lançamento do Mapa da Política de Assistência Social do Espírito Santo, no auditório do Complexo Administrativo da Procuradoria-Geral de Justiça. No evento, foi apresentada a ferramenta digital “Mapa da Política de Assistência Social do Estado do Espírito Santo”. Em seguida, foram realizados debates sobre a realidade do Sistema Único de Assistência Social (Suas). A solenidade lotou o auditório.
 
A ferramenta está disponível no site do MPES e oferece informações detalhadas da localização e horário de funcionamento dos equipamentos estaduais e municipais de atendimento a idosos, pessoas em situação de rua, crianças e adolescentes, jovens e adultos com deficiência, entre outros, além de dados detalhados da população dos municípios, como habilitação no Sistema Único de Assistência Social (Suas), famílias no Cadastro Único para Programas Sociais (CasÚnico), renda, saneamento, coleta de lixo, número de beneficiados por programas sociais. O lançamento do Mapa está previsto no Planejamento Estratégico 2015-2025 do Caco.
 
A procuradora de Justiça e dirigente do Caco, Celia Lucia Vaz de Araújo, abriu o evento destacando a importância do Mapa para o Estado: “Estou muito feliz por podermos disponibilizar esse sistema para as pessoas que precisam dele para atuação no campo da Assistência Social. Trabalhamos nesse projeto há quase um ano e meio, para atendermos bem o cidadão, membros do Ministério Público e o poder público”, salientou.
 
Em seguida, a dirigente do Ceaf, promotora de Justiça Izabel Cristina Salvador Salomão, enfatizou que a nova ferramenta também auxiliará na atuação do MPES. “O Mapa da Política de Assistência Social é muito importante para auxiliar na concretização do nosso papel social”, observou. Em seguida, o gerente de Tecnologia da Informação da Coordenação de Informática (Cinf), Adeilson Rocha Brito, explicou como foi a elaboração do Mapa pelo setor. “É mais um instrumento que pode ser consultado diretamente também pelo cidadão, quando necessário”, informou.