Você está aqui: Página Principal

Encontro debateu segurança alimentar e uso de agrotóxicos

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (Ceaf) e do Centro de Apoio Operacional da Defesa dos Direitos do Consumidor (CADC), realizou o "Encontro sobre Segurança Alimentar e Uso de Agrotóxicos". O evento foi na sexta-feira (29/09), no auditório da Procuradoria-Geral de Justiça. Participaram do evento a promotora de Justiça e dirigente do CADC, Sandra Lengruber; o promotor de Justiça e dirigente do Centro de Apoio Operacional da Defesa do Meio Ambiente (Caoa), Marcelo Lemos; o procurador regional do Trabalho do Estado de Pernambuco e coordenador do Fórum Nacional de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos e Transgênicos, Pedro Luiz Gonçalves Serafim da Silva; a representante do secretário de Estado de Saúde, Gilsa Rodrigues; e o representante do secretário de Estado de Agricultura, Mauro Rossoni.
 
A promotora de Justiça Sandra Lengruber falou dos conteúdos para o debate. “Os temas escolhidos são muito próximos da realidade do nosso Estado, mas também se faz necessário conhecer um pouco mais do nosso país”, declarou.
 
O procurador regional do Trabalho de Pernambuco Pedro Luiz Gonçalves Serafim ministrou palestra abordando o “Combate aos impactos dos agrotóxicos: avanços e retrocessos”. Ele apresentou uma breve história dos agrotóxicos no país, abrangendo o uso, a prevenção, o combate, além dos fóruns estaduais e o nacional de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos e Transgênicos.
 
A promotora de Justiça e dirigente do CADC do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), Greicia Malheiros da Rosa Souza, mostrou como o tema da segurança alimentar vem sendo tratado naquele Estado. Mostrou também alguns programas institucionais. “É um trabalho lento, de mudança cultural, não é do dia para noite que tudo vai mudar”, afirmou.
 
A palestra com o tema “Agrotóxicos na ótica do Sistema Único de Saúde (SUS)” foi ministrada por Luísa de Sordi Gregório Martins, integrante da equipe técnica de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Contaminantes Químicos. Ela apresentou estatísticas nacionais de locais com altos índices de doenças causadas por intoxicação exógena. Também salientou a importância de rotinas de vigilância e atenção à saúde para que esses índices diminuam.
 
O diretor técnico do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), Mauro Rossoni Júnior, falou da Portaria Conjunta das Secretarias de Estado da Agricultura (Seag) e de Saúde (Sesa). Ele mostrou como é realizada a rastreabilidade capixaba de frutas e verduras frescas. De acordo com o diretor, é necessário estruturar um método mais eficiente de monitoramento de resíduos de agrotóxicos nos produtos hortícolas produzidos e comercializados no Estado.
 
O objetivo do encontro foi promover o intercâmbio de informações e estimular o debate dos efeitos de resíduos de agrotóxicos e de outros contaminantes na saúde dos consumidores, visando desenvolver estratégias de atuação conjunta entre entes públicos e privados, para rastrear e fiscalizar produtos agrícolas de origem vegetal produzidos no Espírito Santo.