Você está aqui: Página Principal

OPERAÇÃO SALÁRIO AMIGO – NOTA 2

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco-Norte), da 1ª Promotoria de Justiça Criminal de Linhares e do Núcleo de Inteligência da Assessoria Militar ao MPES, com apoio da Polícia Militar, deflagrou na segunda-feira (26/02) a operação “Salário Amigo”. O objetivo é combater o crime de corrupção por meio da prática conhecida popularmente como “rachid”, quando um político que exerce um determinado mandato exige para si parte do pagamento de servidores, como condição para a obtenção ou manutenção do trabalho. O nome da operação faz referência esse tipo de conduta ilícita.

As investigações continuam sob sigilo. Durante a operação, foi cumprido um mandado de prisão preventiva em face da vereadora de Linhares Rosa Ivania Euzebio dos Santos, conhecida como “Rosinha Guerreira”. Ela foi ouvida na Promotoria de Justiça de Linhares e, em seguida, seria conduzida para o Centro Prisional Feminino de Colatina (CPFCOL). A vereadora foi afastada do cargo a pedido do MPES e teve os bens bloqueados, para eventual ressarcimento ao erário. Também foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão e 12 conduções coercitivas de testemunhas. Os mandatos foram expedidos pela 3ª Vara Criminal da Comarca de Linhares.

Durante entrevista coletiva, concedida na Promotoria de Justiça de Linhares, os promotores responsáveis pela operação informaram que as investigações estão sob sigilo, porque ainda há medidas cautelares a serem cumpridas. A apuração começou na 1º Promotoria de Justiça Criminal de Linhares e depois foi absorvida pelo Gaeco-Norte. As investigações continuam e, agora, o MPES vai verificar o envolvimento de outras pessoas a partir do que for coletado no caso. O MPES também deverá pedir a indenização por danos morais coletivos, ao denunciar os agentes públicos envolvidos, um ineditismo nesse tipo de caso.

Fotos da operação