Você está aqui: Página Principal

GT discute Segurança Alimentar para a população em situação de rua

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio do Centro Operacional de Apoio de Defesa Comunitária (Caco), realizou na sexta-feira (27/07) a quarta reunião de 2018 do Grupo Permanente de Defesa dos Direitos da População em Situação de Rua. O objetivo foi promover o diálogo e discutir políticas públicas voltadas para esse segmento no Espírito Santo. 
O encontro, coordenado pela procuradora de Justiça e dirigente do Caco, Célia Lúcia Vaz de Araujo,foi realizado no auditório da Procuradoria-Geral de Justiça. Reuniu representantes das secretarias municipais de Assistência Social, da Secretaria de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social (Setades), da Secretaria de Estado de Direitos Humanos (STDH), Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (COMSEA), Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea) e do Movimento Nacional de População de Rua (MNPR), entre outras entidades.
Os debates giraram em torno do sistema de segurança alimentar nos municípios capixabas. O membro da mesa diretora do Consea Rosemberg Moraes Caetano relembrou o histórico brasileiro de falta de políticas públicas para a população negra, que é a que mais sofre com a fome. “Quando a política da falsa escravidão nos coloca na rua, ela não lembra que nós precisamos de alimento, de moradia e de saúde. Nossa situação de hoje é uma herança da falta histórica de políticas no Brasil”, afirmou.
Durante o debate, foi apresentado o projeto Banco de Alimentos da Família pelo Presidente do COMSEA Pablo Henrique Amaral Gomes. “Hoje, em Vitória, temos o Banco de Alimentos que faz a captação daquilo que seria desperdiçado, se não fossem adequadamente tratados, e distribui cestas básicas”, disse.
A próxima reunião do grupo está marcada para 14 de setembro.