Você está aqui: Página Principal

Simpósio discute projetos de história oral

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES) realizou na sexta-feira (26/10) o “VIII Simpósio Capixaba de Memória Institucional: História Oral”, no auditório da Procuradoria-Geral de Justiça. O objetivo do evento foi oferecer aparato metodológico para que profissionais que atuam na área da história institucional tenham informações para o desenvolvimento de projetos de história oral.

O promotor de Justiça Pedro Ivo de Sousa fez a abertura do evento ressaltando o valor de se manter projetos de memorial que recuperem a história ministerial. “É importante falar de projetos sobre resgate histórico e sobre uma memória que precisa ser cada vez mais valorizada pela nossa instituição”, afirmou.

Na palestra “A prática da história oral no âmbito do Ministério Público”, o pós-doutor pelo Centro de Pesquisa e Documentação da Fundação Getúlio Vargas e doutor em História Social Gunter Axt relatou suas experiências com projetos de memória oral, apresentou técnicas e esclareceu dúvidas. “A memória está no plano afetivo, é algo que mistifica e sacraliza o passado. A história pretende racionalizar o passado e propor explicações que buscam uma verdade através de metodologias. A história oral nos coloca em contato com um direito vivido, com o cotidiano que é sentido. Um direito que está fora dos livros. A história oral permite acessar a história dos indivíduos”, explicou.

A procuradora de Justiça do MPES Catarina Cecin Gazele, substituindo a historiadora e socióloga Daisy Perelmutter, destacou importantes pontos do trabalho produzido pela professora, que possui experiência em pesquisa social em torno da articulação memória. “A História é importante, ela nos eleva. Com o tempo, vem se perdendo a suspeita com a história oral. É tranquilo hoje pensar, dizer e realizar a história oral como um documento verdadeiro tanto como o escrito. É importante também falar sobre memória das pessoas como um local de lembranças, às vezes uma data é um local de memória importantíssimo”, pontuou.

Os agentes de Apoio administrativos do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (Ceaf) Paulo José da Silva e Simone da Silva Ávila apresentaram o Projeto Memória Oral do MPES, um projeto que registra em vídeo depoimentos de membros e servidores da instituição que agrega experiências, histórias, memórias para o fortalecimento da identidade do MPES, numa interação entre o passado e o presente. “A necessidade de se fazer o projeto foi para ampliar as atividades que já fazíamos no Memorial, seja eventos como esse, pesquisas históricas, reunião de acervos documentais. A história oral veio para agregar e ampliar os instrumentos que nos permitem construir a história institucional”, afirmou Paulo José da Silva. Os vídeos do projeto estarão disponíveis no site do MPES e estão disponíveis no canal do MP capixaba no Youtube, MPES Play.

O promotor de Justiça do Ministério Público do Estado do Amapá Ricardo José Ferreira, a procuradora de Justiça do MPES Izabel Cristina Salvador Salomão, a servidora do Ministério Público Militar de Brasília Eliane Alves e estudantes de diversas áreas acadêmicas participaram do evento. “Sempre venho nas edições do simpósio. Este ano, achei interessante a temática sobre história oral, pois a gente tem disciplina disso no curso. A primeira palestra trouxe muitas novidades e relatos do passado que eu não imaginava”, comentou o estudante de Arquivologia da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) Marcelo Paulo Penido Júnior.

Confira as fotos do evento.