Você está aqui: Página Principal

MPES avalia como bem-sucedida a atuação dos promotores eleitorais nas eleições no Estado

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES) foi bem-sucedido no trabalho de fiscalização das eleições de 2018. Para auxiliar os membros no 1º e 2º turno, foi organizada e disponibilizada uma estrutura de apoio especial. Os 51 promotores eleitorais contaram com o apoio do Núcleo de Inteligência da Assessoria Militar da instituição, além de membros voluntários, que atuaram como promotores auxiliares, e de servidores, veículos e motoristas para a atuação preventiva e repressiva dos ilícitos eleitorais. No total, 63 promotores eleitorais atuaram nos dois turnos, sendo 51 promotores eleitorais titulares e outros 12 promotores de Justiça que prestaram apoio no dia do pleito. Eles contaram, ainda, com o reforço de 26 policiais militares do Núcleo de Inteligência da Assessoria Militar do MPES, além de cinco policiais militares de batalhões locais.

O promotor de Justiça Francisco Martínez Berdeal, dirigente do Centro de Apoio Operacional Eleitoral (Cael) do MPES, fez um balanço do trabalho dos promotores de Justiça que atuaram nas Eleições e avaliou como “bem-sucedida a atuação dos membros no processo eleitoral deste ano”. “A atuação dos membros foi exemplar, tendo sido cumprida com muita dedicação e seriedade, reforçando o papel fundamental da instituição como garante da legitimidade do processo democrático em um momento histórico para o nosso pais”.

Na Grande Vitória, os policiais militares atuaram em Vitória, Vila Velha, Cariacica, Serra e Viana. No Norte, eles acompanharam os promotores eleitorais em Colatina, São Mateus, Linhares, Conceição da Barra, Pedro Canário, São Gabriel da Palha e Vila Valério. No Sul, os policiais participaram da fiscalização em Muqui, Jerônimo Monteiro, Atílio Vivácqua, Anchieta, Piúma, Iconha, Rio Novo do Sul, Vagem Alta, Marataízes e Presidente Kennedy, além de Domingos Martins, Marechal Floriano e Venda Nova do Imigrante, na Região Serrana, sempre quando solicitado pelos promotores eleitorais, por meio do Cael.  

Um dos destaques da atuação do MPES neste ano foi o Projeto Cidade Limpa, que trouxe impactos significativos para a diminuição do derrame de santinhos nos locais de votação, seja com a entrega voluntária de material de campanha como também com a parceria com os municípios promovendo a varrição antecipada e concomitante dos locais de votação. Em muitas cidades, especialmente do interior do Estado, e em alguns bairros da Grande Vitoria, os locais de votação ficaram significativamente limpos. 

Dentre as ações repressivas adotadas, destaque para as denúncias criminais da Promotoria Eleitoral de Nova Venécia por violação do sigilo do voto e propaganda extemporânea e para a Promotoria Eleitoral de Vila Velha, em que foi realizada prisão por crime de boca de urna em razão da atuação fiscalizatória da promotora eleitoral da 32ª Zona. Em termos gerais, o pleito transcorreu com bastante normalidade. 

Fotos da atuação dos promotores eleitorais e dos policiais militares.