Você está aqui: Página Principal

Operação Monticello - Nota 3

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio da Promotoria de Justiça de Linhares e com apoio do 12º Batalhão de Polícia Militar (PM), deflagrou na quinta-feira (01/11) a chamada Operação Monticello. O objetivo foi desarticular uma organização criminosa que atuava no tráfico de drogas. O alvo principal da operação foi Jefferson Ramos dos Passos, mais conhecido como “Jeffim”, de 24 anos, apontado como líder do grupo criminoso. Foram cumpridos oito mandados de prisão e 12 mandados de busca e apreensão, todos em Linhares. Além das oito prisões, um casal foi preso em flagrante.
 
De acordo com as investigações, Jeffim mantinha contato com um fornecedor de drogas de outro município e os entorpecentes que chegavam a Linhares eram distribuídos por ele entre os traficantes locais.
 
 
Participaram da operação 34 policiais militares com apoio de 11 viaturas. Foram apreendidos 28 quilos de maconha, duas armas e uma moto usada pelos traficantes. Os presos e o material apreendido foram levados para a Promotoria de Justiça de Linhares. Posteriormente, os presos foram encaminhados para a Delegacia Regional de Linhares.
 
A operação teve início em agosto, por meio da atuação conjunta do MPES e do Serviço de Inteligência da PM. Desde o início das investigações, que resultaram na operação deflagrada hoje, já foram apreendidos 83 quilos de maconha. Também foram apreendidas duas armas, um revólver calibre .32 e uma espingarda de fabricação caseira.
 
O promotor de Justiça responsável pela Operação Monticello, Bruno de Freitas Lima, exaltou o trabalho conjunto do MPES e Polícia Militar. “Esse grupo está no radar da polícia e do MPES há algum tempo, mas formalmente começamos a investigá-lo no meio do ano. Conseguimos montar o quebra-cabeça dessa organização criminosa e então deflagramos a operação, que foi bastante exitosa”, avaliou.
 
O promotor de Justiça e o comandante da PM em Linhares, tenente-coronel Lozer, pediram para a população aproveitar os canais de denúncia para informar o que acontece nos bairros. “A gente conclama a população para denunciar qualquer movimentação diferente, além de pessoas e carros estranhos próximos de suas residências. A população tem o dever de nos informar pelo Disque-Denúncia 181, por exemplo”, disse o tenente-coronel.
 
Nome da operação
O nome da operação faz alusão ao líder da organização criminosa, Jefferson. Monticello é o nome de um palácio dos Estados Unidos, localizado na cidade de Charlottesville, no Estado da Virgínia, e que foi propriedade do terceiro presidente norte-americano, Thomas Jefferson.