Você está aqui: Página Principal

Eder Pontes destaca diálogo entre as instituições em bate-papo na Procuradoria-Geral do Estado

O procurador-geral de Justiça do Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), Eder Pontes da Silva, destacou na sexta-feira (18/10) a importância do diálogo permanente entre as instituições em benefício da sociedade. Para Eder Pontes, o Ministério Público tem que atuar de forma antecipada na busca de resolver problemas que afetam a população como um todo. “O novo modelo de Ministério Público resolutivo, proativo é a coatuação efetiva no âmbito do extrajudicial. Aos poucos, está havendo uma compreensão de que a judicialização é a exceção, é o último caminho. E nesse ambiente, na esfera de discussão extrajudicial, entra esse papel da interlocução com as demais instituições. A cultura do diálogo é a palavra de ordem”, afirmou, durante o projeto “Diálogos Institucionais” promovido pela Procuradoria-Geral do Estado do Espírito Santo (PGE).

Confira as fotos

Com o tema “O Ministério Público e a indução das políticas públicas estaduais”, Eder Pontes participou do Programa de Residência Jurídica e falou para cerca de 90 advogados em início de carreira e residentes da PGE. Eder Pontes estava acompanhado da secretária-geral do Gabinete do Procurador-Geral de Justiça, promotora de Justiça Luciana Gomes Ferreira de Andrade, que também contribuiu informações a respeito das atribuições e da atuação MPES.

O bate-papo, no auditório da PGE, em Vitória, contou com as presenças do procurador-geral do Estado, Rodrigo Francisco de Paula, do procurador-chefe da Escola Superior da Procuradoria-Geral do Estado (ESPGE), Alexandre Nogueira Alves, e do procurador Rodrigo Rabello, entre outros procuradores do Estado.

Fortalecimento

O procurador-geral de Justiça destacou ainda o papel “qualificado, importante e vital” da PGE para o Estado, com reflexos para a sociedade capixaba. “A PGE tem sido um norte não só para o Estado, mas para as instituições”.

Ao final, Eder Pontes e Luciana Andrade responderam a perguntas feitas pelos jovens bacharéis em Direito. Atuação do Núcleo Permanente de Incentivo à Autocomposição dos Conflitos (Nupa) do MPES, o trabalho ministerial na área de meio ambiente nos enfrentamentos contra a poluição atmosférica, a crise hídrica e a política de resíduos sólidos, além da importância da colaboração premiada foram alguns dos pontos questionados pelos residentes.