Você está aqui: Página Principal

Eder Pontes toma posse como procurador de Justiça

Em uma solenidade concorrida, que lotou o auditório da Procuradoria Geral de Justiça e com a presença de diversas autoridades, o procurador-geral de Justiça, Eder Pontes da Silva, tomou posse como 14º procurador de Justiça Criminal.  Em discurso emocionado, ele citou sua trajetória de 22 anos de atuação no Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), defendeu a convergência e a união institucional, e afirmou que seguirá fiel aos os princípios que sempre conduziram sua atuação no MPES.

“Como procurador de Justiça continuarei pautando minhas ações no respeito aos princípios constitucionais que jurei defender”, discursou o PGJ. Em seguida, assinalou: “Continuarei defendendo o posicionamento de que todos nós, membros, somos importantes, e mais do que nunca deveremos permanecer unos e indivisíveis, sem sectarismos e cada vez mais fortalecidos e imbuídos de um único propósito: defender com afinco os interesses da sociedade, aquela que é a principal destinatária das nossas ações”.

Antes ocupando o cargo de promotor de Justiça, Eder Pontes da Silva foi promovido em março, por merecimento, à vaga aberta de procurador de Justiça com a aposentadoria de Elcy de Souza.

Durante a solenidade de posse, o procurador-geral de Justiça foi saudado pela procuradora de Justiça Heloisa Malta Carpi, que homenageou o colega de atuação ministerial. “O que mais admiro neste amigo é sua incansável luta em busca da Justiça, sejam em seu nome ou nome alheio, travando com todos os segmentos um diálogo aberto, sincero e franco”, salientou a procuradora de Justiça.

Representando o governador Paulo Hartung, o vice-governador César Colnago parabenizou o procurador-geral de Justiça pela promoção. E destacou importância da atuação do Ministério Público no combate à corrução e na defesa dos princípios democráticos. “O Ministério Público do Espírito Santo tem dado grandes exemplos de independência, atuando com rigor, não só fazendo cumprir as leis e a Constituição, mas com ações que demonstram comportamento ético”, afirmou Colnago.