Você está aqui: Página Principal

Promotoria de Justiça quer mais informações sobre maternidade de Vitória

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio da 19ª Promotoria de Justiça Cível de Vitória, solicitou à Secretaria Municipal de Saúde e ao Hospital Dia e Maternidade Unimed Vitória, a antiga maternidade Grand Mater, informações sobre os riscos e a condição de funcionamento da unidade. O MPES decidiu aprofundar as investigações a fim de proporcionar maior esclarecimento e segurança jurídica para o caso, uma vez que o laudo emitido pela Vigilância Sanitária Estadual afirma que a maternidade possui 95% de conformidade. O documento foi na quarta-feira (26/08). A secretaria e o hospital têm 15 dias para responder.

 O MPES solicitou as seguintes informações à Secretaria Municipal de Saúde:

1. O grau de risco sanitário à saúde dos usuários quanto à utilização do Centro de Material de Esterilização, mediante o relatório de inspeção sanitária apresentado.

2. Relatório fotográfico do local inspecionado, seguido de melhor descrição do ambiente e equipamentos.

3. Como a Vigilância Sanitária tem acompanhado o transporte do material para esterilização? Houve/Há fiscalização para esse tipo de procedimento? Foi realizada alguma inspeção no Centro de Material de Esterilização para controle deste material? O material é transportado sujo ou há limpeza prévia?

O MPES solicitou as seguintes informações ao Hospital Dia e Maternidade Unimed Vitória:

- Centro de Material de Esterelização

1. O controle de registros e os de qualidade: testes físicos, testes biológicos e testes químicos.

2.  O registro de controle de temperatura nas áreas de materiais esterilizados (18 a 24 graus).

3. O controle e a garantia de esterilização (registros, planilhas e indicadores) dos materiais utilizados para/com os pacientes envolvidos na denúncia.

4. O registro dos procedimentos cirúrgicos dos pacientes em denúncia referente ao pré, trans e pós-operatório.

  - CCIH- Comissão de Controle de Infecção Hospitalar

O controle e os registros trimestrais quanto:

1.            À taxa de infecção de sítio cirúrgico.

2.            À taxa de infecção hospitalar Geral (trimestral).

3.            Ao registro da busca ativa dos pacientes com infecção em sítio cirúrgico do ano.

4.            O registro da tomada de ação e de acompanhamento dos pacientes que obtiveram infecções em sítio cirúrgico.