Você está aqui: Página Principal

MPES pede prisão de vereador de Itapemirim por prática de “rachid”

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio da Promotoria de Justiça de Itapemirim, pediu a prisão do vereador do município Valtemar Gomes da Silva, conhecido como “Valk”. Segundo a denúncia ajuizada pelo MPES, o vereador solicitou para si, no exercício da função, parte dos salários de uma servidora nomeada por ele para trabalhar em seu gabinete – prática conhecida como “rachid”.
O vereador pediu à servidora R$ 700 e, depois, R$ 400, em quatro ocasiões. Como a assistente de Gabinete se recusou a fornecer os valores, foi exonerada. Para o MPES, os fatos ficaram comprovados em uma gravação feita pela vítima, no depoimento de uma testemunha e no relatório de uma CPI, que apontou fortes indícios da prática do crime. Diante disso, o MPES denunciou o vereador por corrupção passiva e pediu a prisão preventiva dele, por entender que, solto, ele voltará a agir de forma criminosa. 

 Veja a denúncia